Este blog destapa o que alguns se esforçam por encobrir

10
Jun 12

D. Januário Torgal. “Estou a ser vítima de um linchamento”

publicado por ogrilofalante às 23:22
tags:

18
Mai 12

Jornal "Público": Miguel Relvas acusado de ameaçar jornalista


Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares é acusado pelo Conselho de Redação do jornal "Público" de ter ameaçado a jornalista Maria José Oliveira, de quem "divulgaria, na Internet, dados da vida privada", caso uma notícia fosse publicada.

Ao estado a que isto chegou. Um ministro a chantagiar uma jornalista.
publicado por ogrilofalante às 22:24

29
Abr 12

O DN leu a escritura do terreno da casa de férias de Cavaco que ficou isento de sisa, a propriedade custou 137 mil euros e foi adquirida a amigos através de permuta. Na edição de hoje do Diário de Notícias pode ficar ainda a saber que 8,3 mil milhões de euros é quanto o BPN pode vir a custar aos contribuintes.

A promiscuidade e, claro, o roubo

por JOÃO MARCELINO


Será que é desta que os portugueses ficarão a saber como foram roubados?

Com o partido a que os assaltantes pertencem no governo,há que arranjar todos os meios para que este roubo e julgamento venha a dar  em "águas de bacalhau".

Sobre os terrenos que o BPN comprou em Alcochete, algum tempo antes da mudança do aeroporto da Ota para essa localidade, será assunto a tratar mais tarde, bem como os terrenos comprados pelo filho de Duarte Lima com empréstimo do BPN para o ex-futuro IPO de Lisboa.

Com tanta vigarice, vem o PSD pregar moral (nem se demarcando) quando muitos dos seus militantes (ou ex dirigentes)fazem parte do grande polvo que é o BPN.

 


A burla cometida no BPN não tem precedentes na história de Portugal !!!

O montante do desvio atribuído a Oliveira e Costa, Luís Caprichoso, Francisco Sanches e Vaz Mascarenhas é algo de tão elevado, que só a sua comparação com coisas palpáveis nos pode dar uma ideia da sua grandeza.
Com 9.710.539.940,09 ¤ (NOVE MIL SETECENTOS E DEZ MILHÕES DE EUROS.....) poderíamos:
-Comprar 48 aviões Airbus A380 (o maior avião comercial do mundo).
-Comprar 16 plantéis de futebol iguais ao do Real Madrid.
-Construir 7 TGV de Lisboa a Gaia.
-Construir 5 pontes para travessia do Tejo.
-Construir 3 aeroportos como o de Alcochete.
Para transportar os 9,7 MIL MILHÕES DE EUROS seriam necessárias 4.850 carrinhas de transporte de valores!

publicado por ogrilofalante às 15:10

26
Abr 12

 

 

(Coluna de opinião do Semanário Expresso)                 

Nicolau Santos

 Senhor Primeiro-ministro, depois das medidas que anunciou sinto uma força a crescer-me nos dedos e uma raiva a nascer-me nos dentes. Também eu, senhor Primeiro-ministro. Só me apetece rugir!...

 O que o Senhor fez, foi um Roubo! Um Roubo descarado à classe média, no alto da sua impunidade política! Por isso, um duplo roubo: pelo crime em si e pela indecorosa impunidade de que se revestiu. E, ainda pior: Vossa Excelência matou o País!

 Invoca Sua Sumidade, que as medidas são suas, mas o déficite é do Sócrates! Só os tolos caem na esparrela desse argumento.

 O déficite já vem do tempo de Cavaco Silva, quando, como bom aluno que foi, nos anos 80, a mando dos donos da Europa, decidiu, a troco de 700 milhões de contos anuais, acabar com as Pescas, a Agricultura e a Industria. Farisaicamente, Bruxelas pagava então, aos pescadores para não pescarem e aos agricultores para não cultivarem. O resultado, foi uma total dependência alimentar, uma decadência industrial e investimentos faraónicos no cimento e no alcatrão. Bens não transaccionáveis, que significaram o êxodo rural para o litoral, corrupção larvar e uma classe de novos muitíssimo-ricos. Toda esta tragédia, que mergulhou um País numa espiral deficitária, acabou, fragorosamente, com Sócrates. O déficite é de toda esta gente, que hoje vive gozando as delícias das suas malfeitorias.

 

E você é o herdeiro e o filho predilecto de todos estes que você, agora, hipocritamente, quer pôr no banco dos réus?

 

Mas o Senhor também é responsável por esta crise. Tem as suas asas crivadas pelo chumbo da sua própria espingarda. Porque deitou abaixo o PEC4, de má memória, dando asas aos abutres financeiros para inflacionarem a dívida para valores insuportáveis e porque invocou como motivo para tal chumbo, o carácter excessivo dessas medidas. Prometeu, entretanto, não subir os impostos. Depois, já no poder, anunciou como excepcional, o corte no subsídio de Natal. Agora, isto! Ou seja, de mentira em mentira, até a este colossal embuste, que é o Orçamento Geral do Estado.

 Diz Vossa Eminência que não tinha outra saída. Ou seja, todas as soluções passam pelo ataque ao Trabalho e pela defesa do Capital Financeiro. Outro embuste. Já se sabia no que resultaram estas mesmas medidas na Grécia: no desemprego, na recessão e num déficite ainda maior. Pois o senhor, incauto e ignorante, não se importou de importar tão assassina cartilha. Sem Economia, não há Finanças, deveria saber o Senhor. Com ainda menos Economia (a recessão atingirá valores perto do 5% em 2012), com muito mais falências e com o desemprego a atingir o colossal valor de 20%, onde vai Sua Sabedoria buscar receitas para corrigir o déficite? Com a banca descapitalizada (para onde foram os biliões do BPN?), como traçará linhas de crédito para as pequenas e médias empresas, responsáveis por 90% do desemprego?O Senhor burlou-nos e espoliou-nos. Teve a admirável coragem de sacar aos indefesos dos trabalhadores, com a esfarrapada desculpa de não ter outra hipótese. E há tantas! Dou-lhe um exemplo: o Metro do Porto.

 Tem um prejuízo de 3.500 milhões de euros, é todo à superfície e tem uma oferta 400 vezes (!!!) superior à procura. Tudo alinhavado à medida de uns tantos autarcas, embandeirados por Valentim Loureiro.

 Outro exemplo: as parcerias público-privadas, grande sugadouro das finanças públicas.

 

Outro exemplo: Dizem os estudos que, se V. Ex.ª cortasse na mesma percentagem, os rendimentos das 10 maiores fortunas de Portugal, ficaríamos aliviadinhos de todo, desta canga deficitária. Até porque foram elas, as grandes beneficiárias desta orgia grega que nos tramou. Estaria horas, a desfiar exemplos e Você não gastou um minuto em pensar em deslocar-se a Bruxelas, para dilatar no tempo, as gravosas medidas que anunciou, para Salvar Portugal!

 Diz Boaventura de Sousa Santos que o Senhor Primeiro-ministro é um homem sem experiência, sem ideias e sem substrato académico para tais andanças. Concordo! Como não sabe, pretende ser um bom aluno dos mandantes da Europa, esperando deles, compreensão e consideração. Genuína ingenuidade! Com tudo isto, passou de bom aluno, para lacaio da senhora Merkel e do senhor Sarkhozy, quando precisávamos, não de um bom aluno, mas de um Mestre, de um Líder, com uma Ideia e um Projecto para Portugal. O Senhor, ao desistir da Economia, desistiu de Portugal! Foi o coveiro da nossa independência. Hoje, é, apenas, o Gauleiter de Berlim.

 

Demita-se, senhor primeiro-ministro, antes que seja o Povo a demiti-lo.

 

publicado por ogrilofalante às 15:52
tags:

25
Abr 12

                                                                                                                                                          

 

Foram os dicursos habituais de circuntâsncia mas há que salientar o discurso de Cavaco.

Foi muito positivo quando realçou aquilo que de bom tem o país e que deve ser mostrado aqueles que não nos conhecem ou que desconhecem aquilo de bom que temos. Retiro desse discurso o que disse sobre o avanço na   ciência, na educação, na saúde, na segurança social nos ultimos dez anos.

Voltando às comemoraçoes do ano passado, há uma enorme contradição quando da mesma tribuna disse que os ultimos dez anos foram uma década perdida. Sr presidente, aconselho-o a consultar um nerologista pois se ainda não tem Alzhaimer, já está a dar sinais dessa doença.

publicado por ogrilofalante às 16:13

24
Abr 12

Este texto jornalístico do Eça, escrito em 1867 é um fiel retrato do país atual

 

"Esta é a ideia única, a que toda a imprensa se deve ligar, que se deve ensinar ao povo, que se deve pregar como o verbo de salvação. Destruir a maioria.
O Governo está levando o País à miséria pelo imposto, à estiolação pela centralização, ao fim da liberdade pelo começo da polícia e das instituições reacionárias. O Governo está abandonado pelo País e apoiado pela maioria. O Governo só tem a vida que a maioria lhe dá; os passos que ele dá para o mal, é ela quem os sustenta e os aplaude; o fim da maioria significa o fim do Governo; o fim do governo significa o fim da vexação.
Ora, será muito difícil ao País destruir a maioria? Não.
Os deputados da maioria são procuradores que atraiçoaram os seus constituintes.
O País pode cassar-lhes a procuração.
Se lha deu para que eles velassem pelo povo, e eles o estão vexando, tem o direito a chamá-los à acusação, a interrogar-lhes a consciência, e, se lá dentro encontrarem o negro gérmen da traição, cassar-lhes os mandatos"

publicado por ogrilofalante às 16:07
tags:

21
Abr 12

A frase que dá título a este post foi escrita no twitter de Pedro Passos Coelho a 15 de Março de 2011.

 ler aqui

publicado por ogrilofalante às 22:03
tags:

17
Abr 12

 O procurador-geral da República (PGR) justificou o atraso na investigação do caso da compra por Portugal de dois submarinos à Alemanha com a falta de dinheiro para a realização de perícias.

«É muito difícil quando mete perícias. São caríssimas e temos estado à espera que o Ministério da Justiça disponibilize a verba», disse Pinto Monteiro, citado pela agência Lusa, a propósito do inquérito sobre a compra de submarinos que está a ser investigado há anos pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP)

 

Buraco milionário nos submarinos

Portugal pode perder mais de 700 milhões de euros em contrapartidas da compra dos submarinos alemães.

Portugal corre sérios riscos de perder 705 milhões de euros em contrapartidas da compra dos submarinos alemães, ocorrida em 2004, quando Paulo Portas era ministro da Defesa.

 

Não quero com isto isentar de culpas mas parece que não têm faltado meios para investigar tudo o que se relacione com Sócrates. Pelo menos ainda ninguém se queixou de falta de dinheiro para esse efeito.

 

publicado por ogrilofalante às 19:35

10
Abr 12

Com podem os portugueses ter confiança nos políticos que nos governam se eles dizem hoje  uma coisa e amanhã o seu contrário?

Criticam os governos quando estão na oposição e fazem aquilo que criticaram quando estão no governo.

A parelha da foto, há algum tempo atrás, barafustava cobras e lagartos contra o governo de Sócrates sobre o preço dos combustíveis. Hoje, estão muito caladinhos sobre os preços dos mesmos. Assim prega o frei Tomás...

Ver aqui e aqui aquilo que Portas disse  e também aqui  e ainda aqui, o que disse Passos Coelho.

Dá vómitos ouvir o que disseram ontem e aquilo que dizem e praticam hoje.

publicado por ogrilofalante às 11:03

03
Abr 12

Tudo isto está no pasquim Povo Livre de 25 de Maio de 2011

Basta comparar aquilo que esta corja disse ontem e faz hoje.

A mudançaq nota-se! Os portugueses que o digam.

 

 

Marco António Costa encontra no “falhanço
absoluto” da governação as actuais
altíssimas e inéditas taxas de desemprego

 

 Para Marco António Costa este número resulta do “falhanço absoluto da governação do PS que não conduziu,
sob o ponto de vista das políticas económicas, de forma correta o país”.
Este é “o balanço que se pode fazer da governação do PS: em número de vítimas que essa governação produziu,
em número de desempregados, em portugueses sem nenhum tipo de esperança neste momento e em número de
empresas que faliram na região Norte durante este período”, destacou.

 

José Sócrates devia “chorar de vergonha”
com aumento de desemprego, afirma Luís
Montenegro


 O deputado do PSD Luís Montenegro defende que o Governo
“não merece uma nova oportunidade” após o país ter atingido
os 12,4 por cento de desemprego, uma taxa que deveria “fazer o
primeiro-ministro chorar de vergonha”.
“Este primeiro-ministro não merece uma nova oportunidade.
Quem merece são os portugueses, uma oportunidade para voltar a
ter confiança no futuro”, afirmou Luís Montenegro, considerando que
o Governo PS deixou o país “à beira do colapso social, económico
e financeiro”.
Na abertura do debate sobre a situação económica e social do
país, na comissão permanente da Assembleia da República, dia 19 de
Maio, Luís Montenegro argumentou que os números do desemprego
divulgados pelo INE, 12,4 por cento no primeiro trimestre do ano,
“são a parte mais negra da governação falhada de José Sócrates”.

 

Carlos Moedas lembra que José Sócrates
levou Portugal “ao buraco”

 

O candidato a deputado pelo PSD Carlos Moedas afirmou em Vila Nova de Milfontes, num jantar de campanha em que esteve
Passos Coelho, que o secretário-geral do PS, José Sócrates, levou o país “ao buraco” e agora “não quer parar de cavar”, porque pretende
prosseguir com as mesmas políticas.

 

 O ataque social
João César das Neves

 

A maior parte das pessoas em Portugal está zangada. Os outros estão assustados ou só tristes. Estas atitudes, se parecem justificadas, são muito inconvenientes. Neste
período, mais que nunca, é necessário espírito lúcido, cabeça fria, imaginação serena. Tudo isto é incompatível com medo, tristeza e sobretudo raiva. Não admira a indigência
dos debates.
Razão central da fúria é o suposto ataque ao Estado social. Alegadamente os terríveis neoliberais querem usar a crise para desmantelar os direitos laborais, de saúde,
protecção e outros benefícios. Autopromovidos defensores da justiça e solidariedade chegam a proclamar uma guerra santa contra a ameaça. Mas os seus argumentos são
falsos, enganadores e perversos.

 

Mais uma voz portuguesa
que se levanta

Alvaro Santos Pereira

 

1) Na última década, Portugal teve o pior crescimento económico dos últimos
90 anos
2) Temos a pior dívida pública (em % do PIB) dos últimos 160 anos. A dívida
pública este ano vai rondar os 100% do PIB
3) Esta dívida pública histórica não inclui as dívidas das empresas públicas (mais
25% do PIB nacional)
4) Esta dívida pública sem precedentes não inclui os 60 mil milhões de euros das
PPP (35% do PIB adicionais), que foram utilizadas pelos nossos governantes para fazer
obra (auto-estradas, hospitais, etc.) enquanto se adiava o seu pagamento para os próximos
governos e as gerações futuras. As escolas também foram construídas a crédito.
5) Temos a pior taxa de desemprego dos últimos 90 anos (desde que há registos).
Em 2005, a taxa de desemprego era de 6,6%. Em 2011, a taxa de desemprego chegou
aos 11,1% e continua a aumentar.
6) Temos 620 mil desempregados, dos quais mais de 300 mil estão desempregados
há mais de 12 meses
7) Temos a maior dívida externa dos últimos 120 anos.
8) A nossa dívida externa bruta é quase 8 vezes maior do que as nossas exportações
9) Estamos no top 10 dos países mais endividados do mundo em praticamente
todos os indicadores possíveis
10) A nossa dívida externa bruta em 1995 era inferior a 40% do PIB. Hoje é de
230% do PIB
11) A nossa dívida externa líquida em 1995 era de 10% do PIB. Hoje é de quase
110% do PIB
12) As dívidas das famílias são cerca de 100% do PIB e 135% do rendimento
disponível
13) As dívidas das empresas são equivalente a 150% do PIB
14) Cerca de 50% de todo endividamento nacional deve-se, directa ou indirectamente,
ao nosso Estado
15) Temos a segunda maior vaga de emigração dos últimos 160 anos
16) Temos a segunda maior fuga de cérebros de toda a OCDE
17) Temos a pior taxa de poupança dos últimos 50 anos
18) Nos últimos 10 anos, tivemos défices da balança corrente que rondaram entre
os 8% e os 10% do PIB
19) Há 1,6 milhões de casos pendentes nos tribunais civis. Em 1995, havia 630 mil.
Portugal é ainda um dos países que mais gasta com os tribunais por habitante na Europa
20) Temos a terceira pior taxa de abandono escolar de toda a OCDE (só melhor
do que o México e a Turquia)
21) Temos um Estado desproporcionado para o nosso país, um Estado cujo peso
já ultrapassa os 50% do PIB
22) As entidades e organismos públicos contam-se aos milhares. Há 349 Institutos
Públicos, 87 Direcções Regionais, 68 Direcções-Gerais, 25 Estruturas de Missões,
100 Estruturas Atípicas, 10 Entidades Administrativas Independentes, um número
indeterminado de parcerias-publicas-privadas, 2 Forças de Segurança, 8 entidades e
sub-entidades das Forças Armadas, 3 Entidades Empresariais regionais, 6 Gabinetes, 1
Gabinete do Primeiro Ministro, 16 Gabinetes de Ministros, 38 Gabinetes de Secretários
de Estado, 15 Gabinetes dos Secretários Regionais, 2 Gabinetes do Presidente Regional,
2 Gabinetes da Vice-Presidência dos Governos Regionais, 18 Governos Civis, 2 Áreas
Metropolitanas, 9 Inspecções Regionais, 16 Inspecções-Gerais, 31 Órgãos Consultivos,
350 Órgãos Independentes (tribunais e afins), 17 Secretarias-Gerais, 17 Serviços de
Apoio, 2 Gabinetes dos Representantes da República nas regiões autónomas, e ainda
308 Câmaras Municipais, 4260 Juntas de Freguesias. Há ainda as Comissões de Coordenação
e Desenvolvimento Regional, e as Comunidades Intermunicipais.
22) Nos últimos anos, nada foi feito para cortar neste Estado omnipresente e
despesista, embora já se cortaram salários, já se subiram impostos, já se reduziram
pensões e já se impuseram vários pacotes de austeridade aos portugueses. O Estado
tem ficado imune à austeridade

publicado por ogrilofalante às 15:23

24
Mar 12



atual governo, dizem que a manifestação foi um fiasco. Se o foi, o mesmo não se pode dizer da quantidade de "gorilas" mobilizados para fazer frente aos "perigosos" manifestantes. Pela quantidade , mais parecia que estava a começar a III guerra mundial.

Cenas destas, já não se viam há muitos anos. Isto era o habitual  no tempo dos governos do sr Silva. Esta gente do PSD, quando está no poder, é danada para pôr os jagunços na rua.

Daqui para a frente, os portugues que se cuidem pois a trupe que nos governa, só é forte de cassetete na mão.

Depois ordenam aos jagunços para "malhar a torto e a direito". Nem os jornalistas escapam mesmo depois de identificados. São eles que testemunham  a cobardia de quem está mandatado pelos seus superiores para usar da violência gratuita. Durante anos não lhes foram dadas oportunidades para "molhar a sopa", agora estão a tentar recuperar o tempo perdido

Não é preciso mais comentários pois as  imagens fam por si.
publicado por ogrilofalante às 19:06

14
Mar 12

Caramelos Vaquinha

publicado por ogrilofalante às 18:35
tags:

12
Mar 12

publicado por ogrilofalante às 08:38
tags: , ,

09
Mar 12

 

Hoje há conquilhas       As rivalidades partidárias ajudam a transparência.

                                      MORDER A LÍNGUA ATÉ SANGRAR.

Corporativa                   "Lucros da RTP aumentam para 18,9 milhões de euros em 2011"

Cronicas do rochedo    Lata Histórica

Jugular                         Ao vivo e a cores

O Jumento                   Lealdade é...

Aspirina B                   Que fazem um presidente calculista e um governo de incompetentes?

 

publicado por ogrilofalante às 18:17
tags:

08
Mar 12

Afinal onde pára a fé da ministra? E vai gente desta para o governo esperando que a sua fé resolva os problemas. Assim, NÃO!

JN 21 Fevereiro 2012

A ministra da Agricultura diz que tem "fé" que chova nas próximas semanas

 TSF 21 de Fevereiro 2012

 Nesse sentido, a ministra da Agricultura disse que mantém a fé de que há-de chover.

 SIC noticias 8 de Março 2012

 A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, disse na quarta-feira que o Governo português já enviou "uma carta" para Bruxelas por causa da seca e dos seus efeitos na agricultura

publicado por ogrilofalante às 09:14
tags: ,

06
Mar 12

Grão a grão, cada vez a pasta do Ávaro fica mais vazia. O Relvas fica com uma parte, o Paulinho, o Gaspar, o António Borges e o Moedas com o resto. Para o Álvaro, fica a embaixada do pastel de nata. Como quem diz: estás aqui estás de volta ao Canadá. Talvez haja  algum "tacho" à espera  de boy.

publicado por ogrilofalante às 18:04
tags: ,

05
Mar 12

Este fim de semana houve congresso em  dos Magistrados do MP em Vila Moura. porque não o fizetram em Montalegre ou  em Vinhais?

Com tanto patrocínio, cada leitor que tire as suas conclusões.

Já agora estou a pensar fazer um congresso com os leitores do blog. Será que posso contar com estes senhores para que as nossas famílias se "divirtam à tripa forra"'

 

http://cibertulia.blogs.sapo.pt/1657724.html

http://outrosdireitos.blogspot.com/2012/03/transparencias.html

http://gotadeagua53.blogspot.com/2012/03/o-ministerio-publico-reune-se-custa-de.html

publicado por ogrilofalante às 11:05

Taxas de IRS de 2012são excessivas e forçam empréstimo ao Estado, dizem fiscalistas (Lusa)

Já não bastava os cortes no subsidios de férias, os cortes no 13º mês, os corte nas despesas de ensino, o corte nas despesas de saúde mais os aumentos na generalidade de tudo o que se tem que pagar ao estado. Agora mais isto! POR FAVOR, PAREM QUE OS PORTUGUESES JÀ NÃO AGUENTAM MAIS. Já só falta o "POVO" sair para a rua e fazer como fizeram ao Kadaf.

Em contrapartida, os "barões" continuam a pavoner-se por este país e pelo estrangeiro como se nada se passasse dentro de portas.

publicado por ogrilofalante às 10:35
tags:

03
Mar 12

Está à rasca a geração dos pais que educaram os seus meninos numa abastança caprichosa, protegendo-os de dificuldades e escondendo-lhes as agruras da vida.

Está à rasca a geração dos filhos que nunca foram ensinados a lidar com frustrações.

A ironia de tudo isto é que os jovens que agora se dizem (e também estão) à rasca são os que mais tiveram tudo. Nunca nenhuma geração foi, como esta, tão privilegiada na sua infância e na sua adolescência. E nunca a sociedade exigiu tão pouco aos seus jovens como lhes tem sido exigido nos últimos anos.

Deslumbradas com a melhoria significativa das condições de vida, a minha geração e as seguintes (actualmente entre os 30 e os 50 anos) vingaram-se das dificuldades em que foram criadas, no antes ou no pós 1974, e quiseram dar aos seus filhos o melhor.

Ansiosos por sublimar as suas próprias frustrações, os pais investiram nos seus descendentes: proporcionaram-lhes os estudos que fazem deles a geração mais qualificada de sempre (já lá vamos...), mas também lhes deram uma vida desafogada, mimos e mordomias, entradas nos locais de diversão, cartas de condução e 1.º automóvel, depósitos de combustível cheios, dinheiro no bolso para que nada lhes faltasse. Mesmo quando as expectativas de primeiro emprego saíram goradas, a família continuou presente, a garantir aos filhos cama, mesa e roupa lavada.

Durante anos, acreditaram estes pais e estas mães estar a fazer o melhor; o dinheiro ia chegando para comprar (quase) tudo, quantas vezes em substituição de princípios e de uma educação para a qual não havia tempo, já que ele era todo para o trabalho, garante do ordenado com que se compra (quase) tudo. E éramos (quase) todos felizes.

Depois, veio a crise, o aumento do custo de vida, o desemprego, ... A vaquinha emagreceu, feneceu, secou.

Foi então que os pais ficaram à rasca.

Os pais à rasca não vão a um concerto, mas os seus rebentos enchem Pavilhões Atlânticos e festivais de música e bares e discotecas onde não se entra à borla nem se consome fiado.

Os pais à rasca deixaram de ir ao restaurante, para poderem continuar a pagar restaurante aos filhos, num país onde uma festa de aniversário de adolescente que se preza é no restaurante e vedada a pais.

São pais que contam os cêntimos para pagar à rasca as contas da água e da luz e do resto, e que abdicam dos seus pequenos prazeres para que os filhos não prescindam da internet de banda larga a alta velocidade, nem dos qualquercoisaphones ou pads, sempre de última geração.

São estes pais mesmo à rasca, que já não aguentam, que começam a ter de dizer "não". É um "não" que nunca ensinaram os filhos a ouvir, e que por isso eles não suportam, nem compreendem, porque eles têm direitos, porque eles têm necessidades, porque eles têm expectativas, porque lhes disseram que eles são muito bons e eles querem, e querem, querem o que já ninguém lhes pode dar!

A sociedade colhe assim hoje os frutos do que semeou durante pelo menos duas décadas.

Eis agora uma geração de pais impotentes e frustrados.

Eis agora uma geração jovem altamente qualificada, que andou muito por escolas e universidades mas que estudou pouco e que aprendeu e sabe na proporção do que estudou. Uma geração que colecciona diplomas com que o país lhes alimenta o ego insuflado, mas que são uma ilusão, pois correspondem a pouco conhecimento teórico e a duvidosa capacidade operacional.

Eis uma geração que vai a toda a parte, mas que não sabe estar em sítio nenhum. Uma geração que tem acesso a informação sem que isso signifique que é informada; uma geração dotada de trôpegas competências de leitura e interpretação da realidade em que se insere.

Eis uma geração habituada a comunicar por abreviaturas e frustrada por não poder abreviar do mesmo modo o caminho para o sucesso. Uma geração que deseja saltar as etapas da ascensão social à mesma velocidade que queimou etapas de crescimento. Uma geração que distingue mal a diferença entre emprego e trabalho, ambicionando mais aquele do que este, num tempo em que nem um nem outro abundam.

Eis uma geração que, de repente, se apercebeu que não manda no mundo como mandou nos pais e que agora quer ditar regras à sociedade como as foi ditando à escola, alarvemente e sem maneiras.

Eis uma geração tão habituada ao muito e ao supérfluo que o pouco não lhe chega e o acessório se lhe tornou indispensável.

Eis uma geração consumista, insaciável e completamente desorientada.

Eis uma geração preparadinha para ser arrastada, para servir de montada a quem é exímio na arte de cavalgar demagogicamente sobre o desespero alheio.

Há talento e cultura e capacidade e competência e solidariedade e inteligência nesta geração?

Claro que há. Conheço uns bons e valentes punhados de exemplos!

Os jovens que detêm estas capacidades-características não encaixam no retrato colectivo, pouco se identificam com os seus contemporâneos, e nem são esses que se queixam assim (embora estejam à rasca, como todos nós).

Chego a ter a impressão de que, se alguns jovens mais inflamados pudessem, atirariam ao tapete os seus contemporâneos que trabalham bem, os que são empreendedores, os que conseguem bons resultados académicos, porque, que inveja! que chatice!, são betinhos, cromos que só estorvam os outros (como se viu no último Prós e Contras) e, oh, injustiça!, já estão a ser capazes de abarbatar bons ordenados e a subir na vida.

E nós, os mais velhos, estaremos em vias de ser caçados à entrada dos nossos locais de trabalho, para deixarmos livres os invejados lugares a que alguns acham ter direito e que pelos vistos - e a acreditar no que ultimamente ouvimos de algumas almas - ocupamos injusta, imerecida e indevidamente?!!!

Novos e velhos, todos estamos à rasca.

Apesar do tom desta minha prosa, o que eu tenho mesmo é pena destes jovens.

Tudo o que atrás escrevi serve apenas para demonstrar a minha firme convicção de que a culpa não é deles.

A culpa de tudo isto é nossa, que não soubemos formar nem educar, nem fazer melhor, mas é uma culpa que morre solteira, porque é de todos, e a sociedade não consegue, não quer, não pode assumi-la. Curiosamente, não é desta culpa maior que os jovens agora nos acusam.

Haverá mais triste prova do nosso falhanço?

Mia Couto

publicado por ogrilofalante às 17:09

02
Mar 12

O Secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Silva Monteiro, autorizou o pagamento de 4,4 milhões de euros à Lusoponte para compensar a empresa pela não cobrança de portagens na Ponte 25 de Abril. Isto, apesar de saber que a isenção em Agosto neste trajecto acabou o ano passado e que a Lusoponte ficou com o dinheiro das portagens - as receitas de todas concessões rodoviárias são das Estradas de Portugal. Assim, a empresa recebeu duas vezes.

A decisão consta de um despacho assinado no dia 21 de Novembro do ano passado, depois de um pedido de compensação da empresa. E tanto o dinheiro das portagens como o dinheiro da compensação continuam nas mãos da concessionária.

Tendo a Lusoponte retido o dinheiro das portagens de Agosto, a empresa pública Estradas de Portugal (EP), gestora de todas as infra-estruturas rodoviárias do país, decidiu descontar os 4,4 milhões de euros ao pagamento normal efectuado à Lusoponte. Pagou 2,3 milhões de euros à Lusoponte, em vez dos 6,7 milhões acordados no Acordo de Reequilíbrio Financeiro VIII, pois este documento não previa a cobrança de portagens em Agosto.

Mas a empresa liderada por Joaquim Ferreira do Amaral, antigo ministro das Obras Públicas de Cavaco Siva num governo do do PSD, discordou da decisão da EP e pediu à empresa para efectuar o pagamento pelos moldes anteriores à introdução de portagens, apesar de ter retido o dinheiro das portagens.

publicado por ogrilofalante às 17:46

01
Mar 12

Desemprego em Portugal atinge os 14,8%, a terceira taxa mais elevada da UE

Aqueles que nos governam que tanto prometeram e do que prometeram, pouco  fizeram, estão a destruir todos os dias imensos postos de trabalho com as políticas que estão a implementar. NUNCA, em Portugal houve tantos desempregados. NUNCA em Portugal  encerraram tantas empresas. NUNCA em Portugal um governo fez tão pouco para contrariar esta situação. A sua obsessão é o défice.  Quanto mais desemprego, mais despesa  menos consumo, menos impostos e a espiral nunca mais pára. Subsídios e apoios às famílias, sem falar na sopa dos pobres que o cantineiro do ministério da caridadezinha criou par matar a fome aos desgraçadinhos.
Com este remédio o doente vai morrer pela certa.
publicado por ogrilofalante às 15:52

29
Fev 12

De austeridade em austeridade (no tempo do Sócrates era de PEC em PEC)  dentro de pouco tempo teremos que nos socorrer a  este novo modelo de dentistas  "Low Cost" pois o pouco dinheiro dos portugueses, não chega para se dar ao "luxo" de ir a um dentista a sério.

publicado por ogrilofalante às 20:14

26
Fev 12

 Passos Coelho bem avisou que iria fazer cortes na despesa. Só não disse que era na nossa. A nossa despesa com alimentação, habitação e transportes está cada vez menor...
Os portugueses vivem hoje num país nórdico: pagam impostos como no Norte da Europa; têm um nível de vida como no Norte de África. Como são um povo ao qual é difícil agradar, ainda se queixam. Sem razão, evidentemente.
A campanha eleitoral foi dominada por uma metáfora, digamos, dietética: o Estado era obeso e precisava de emagrecer. Chegava a ser difícil distinguir o tempo de antena do PSD de um anúncio da Herbalife. "Perca peso orçamental agora! Pergunte-me como!" O problema é que, ao que parece, um Estado gordo é caro, mas um Estado magro é caríssimo. Aqueles que acusavam o PSD de querer matar o Estado à fome enganaram-se. O PSD quer engordá-lo antes de o matar, como se faz com o porco. Ninguém compra um bácoro escanzelado, e quem se prepara para comprar o Estado também gosta mais de febra do que de osso.

Embora o nutricionismo financeiro seja difícil de compreender, parece-me que deixámos de ter um Estado obeso e passámos a ter um Estado bulímico. Pessoalmente, preferia o gordo. Comia bastante mas era bonacheirão e deixava-me o décimo terceiro mês (o atual décimo segundo mês e meio, ou os décimos terceiros quinze dias) em paz.
Enfim, será o preço a pagar por viver num país com 10 milhões de milionários. Talvez o leitor ainda não tenha reparado, mas este é um país de gente rica: cada português tem um banco e uma ilha. É certo que é o mesmo banco e a mesma ilha, mas são nossos. Todos os contribuintes são proprietários do BPN e da Madeira. Tal como sucede com todos os banqueiros proprietários de ilhas, fizemos uma escolha: estes são luxos caros e difíceis de sustentar. Todos os meses, trabalhamos para sustentar o banco e a ilha, e depois gastamos o dinheiro que sobra em coisas supérfluas, como a comida, a renda e a eletricidade.
Felizmente, o governo ajuda-nos a gerir o salário com inteligência. Pedro Passos Coelho bem avisou que iria fazer cortes na despesa. Só não disse que era na nossa, mas era previsível. A nossa despesa com alimentação, habitação e transportes está cada vez menor. Afinal, o orçamento gordo era o nosso. Agora está muito mais magro, elegante e saudável. Mais sobra para o banco e para a ilha.

publicado por ogrilofalante às 20:22

24
Fev 12

A criação de uma comissão parlamentar de inquérito à gestão do BPN pela Caixa Geral de Depósitos e à sua venda ao BIC foi hoje rejeitada pelos votos contra do PSD.


Não seria de espera outra coisa com tanta gente "graúda" do PSD metida nesta jogada, nada mais restava ao PSD do que "chutar para canto" impedindo assim que se apurem  responsabilidades. Já todo o mundo sabe quem foram e quem continua a ser beneficiário desta mega burla. Todos o país sabe que muitos dos beneficiados andam por aí ... como se nada fosse a gozar do dinheiro "roubado" ao banco e que os contribuintes estão a pagar.

publicado por ogrilofalante às 14:58

19
Fev 12

17 -01 2011 (candidato à presidência da República)


Cavaco Silva incentiva alunos do privado a manifestarem-se

"Manifestações são sinal de vitalidade da sociedade civil", afirmou o candidato.

"Considero importante que crianças, jovens, pais e professores venham para a rua para defender a sua escola. É um sinal de vitalidade da nossa sociedade civil", disse Cavaco Silva

 

16-02-2012  (presidente da República)


Visita de Cavaco a escola cancelada por “um impedimento”

Dezenas de alunos estavam pelo menos desde as 10h concentrados em frente ao portão da escola António Arroio à espera da chegada de Cavaco Silva – inicialmente a Presidência da República não deu qualquer explicação sobre o cancelamento.

 

Será este Cavaco o mesmo que incentivava há um ano atrás os alunos do ensino particular a manifestarem-se contra o status quo? Não! Este Cavaco de hoje, é aquela que quando era PM sofria de claustrofobia quando havia manifestações hostis. Há um ano, era sinal de vitalidade . E hoje o que é?

Como dizem os comunistas: cada cavadela sua minhoca...

 

 

publicado por ogrilofalante às 20:03

15
Fev 12

Governo mandou fazer 100 livros e pagou 12 mil euros por ajuste directo a uma gráfica

 

O gabinete do ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, encomendou em Dezembro, à Gráfica MaiaDouro, SA, a produção, por ajuste directo, de uma centena de exemplares do programa do Governo, denominado Compromisso para uma Nação Forte.

O preço contratual foi de 12 mil euros, o que significa que cada exemplar, feito em papel couché semimate, custou 120 euros. O contrato data de 9 de Dezembro e o prazo de execução foi de 10 dias.

Fonte do gabinete do ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares confirmou ao PÚBLICO que os serviços gráficos se destinaram à impressão do programa do Governo, composto por 100 exemplares. Informa também que foi efectuado por ajuste directo, atendendo ao valor da aquisição "sem prejuízo de contactos informais com vista à obtenção de diferentes orçamentos".

No email enviado ao PÚBLICO, o ministério acrescenta que "foram contactadas, informalmente, três outras empresas, tendo esta [a Gráfica MaiaDouro, SA] apresentado o valor mais baixo".

O encargo foi suportado pelo orçamento do gabinete do ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, atendendo a que Miguel Relvas "é o membro do Governo que tem responsabilidades de apoio ao primeiro-ministro na coordenação política".

A capa do livro tem um fundo em tons de cinza-prata e apresenta uma ilustração em alto-relevo. Segundo adiantou ontem fonte do gabinete de Miguel Relvas, os exemplares destinam-se exclusivamente ao Governo.

Trata-se de uma edição, toda a cores, cujo conteúdo é idêntico ao programa de Governo e ao balanço dos 100 primeiros dias do XIX Governo Constitucional.

publicado por ogrilofalante às 16:46

12
Fev 12

Um preso

Um desaparecido

E outro com dificuldades económicas

 

 

 

publicado por ogrilofalante às 19:22

06
Fev 12

 

Esta caiu-me na caixa de correio eletrónico e não podia deixar de dar uma ajudinha lançando também a minha "farpa e continuando com a máxima que me é muito querida. BEM PREGA O FREI TOMÁS...


Se ela continua a trabalhar, está a receber reforma porquê?!

Ela é loira, mas de burra não tem nada...
Sempre a pedirem-nos sacrifícios e “Eles " e “Elas “a receberem reformas, salários, subvenções vitalícias. Como é que isto algum dia irá para a frente, se todos ELES quando fazem as leis é para zelarem pelos seus próprios interesses ?
Se o cidadão normal tem de trabalhar 40 anos (ou mais) e só tem direito a uma pequena reforma, porque é que eles ao fim de oito anos de serviço já têm direito a reformas gordas?
É aqui que o governo tem de começar a cortar as gorduras...mas corta é nos nossos subsídios e eles continuam a fazer as suas vidinhas de nababos.
Divulguem!!! Basta de nos tratarem como atrasados mentais; passem ao maior número de pessoas que possam.
Foi assim que conseguimos que três ministros abdicassem dos seus subsídios de deslocação, quando (vergonha das vergonhas) têm casa em Lisboa.

Assunção Esteves (PSD), a actual Presidente da Assembleia da República, reformou-se aos 42 anos, com a pensão mensal (14 vezes ano) de 2.315,51€.
Está no Diário da República de 30/07/1998, IIsérie Nº 174 fls 10585 para vossa informação. Para que saibam ainda, a Senhora Assunção Esteves recebe ainda de vencimento mensal (14 vezes ano) 5.799,05€ e de ajudas de custas mensal (14 vezes ano) 2.370,07€. Aufere, portanto, a quantia anual de 146.784,82€. Ou seja, recebe do erário público, a remuneração média mensal de 12.232,07€ (Doze mil, duzentos e trinta e dois euros, sete cêntimos).
Relembramos que também tem direito a uma viatura oficial BMW a tempo inteiro!
E vem este IDIOTA do Passos Coelho sacar subsídios e pedir sacrifícios aos funcionários públicos e pensionistas!!! É mesmo preciso ter lata !!!

PARTILHEM

S E M  M E DO 

 

 

 

 

publicado por ogrilofalante às 18:45

01
Fev 12

Este senhor anda desaparecido! Desde que foi para o governo, ninguém mais  ouviu a cassete antes repetida  vezes sem contas.

Quando na oposição, dizia que Portugal nunca tinha tido tantos desempregados como até então. É só ver hoje os números. Agora não pode dizer nada embora a situação esteja substancialmente pior.

Em relação à criminalidade, dizia que os número de crimes durante o  governo de Sócrates eram assustadores. Hoje,  o nível, a sofisticação e a violência é pior que há um ano atrás e Sua Exª nada diz.

Bem prega o frei Tomás...

publicado por ogrilofalante às 21:24

É ver aqui, a "poupança" que este governo tem nos seus boys

publicado por ogrilofalante às 21:21
tags: ,

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


subscrever feeds